InícioNOTÍCIASNegociações com empresas estão empacadas há um mês

Negociações com empresas estão empacadas há um mês

Noventa dias após receberem as reivindicações dos jornalistas catarinenses – mais precisamente após duas rodadas de negociações na Secretaria Regional do Trabalho e Emprego (SRTE/SC) e três de negociações diretas entre jornalistas e empresas -, os representantes patronais ainda não se posicionaram sequer sobre 50% do rol. Faltou tempo? O SJSC insiste na retomada das negociações, interrompidas no dia 30 de maio.

Das 65 cláusulas constantes da pauta, 28 foram de alguma forma abordadas até o momento. Destas, quatro foram olimpicamente rejeitadas pelos prepostos patronais, cinco voltarão à discussão, a opção de manter a redação da atual Convenção Coletiva de Trabalho foi apontada para três delas e para outras quatro os patrões ficaram de apresentar nova redação.

As 10 cláusulas aceitas até o momento têm pouco ou nenhum impacto econômico e, claro, duas estão em negociação, o piso e o reajuste salarial. Para conferir o posicionamento patronal até o momento, veja o quadro abaixo.

Quanto às duas questões econômicas em negociação até o momento, a proposta na mesa é de R$ 1.535,00 para o piso em maio e R$ 1.600,00 em janeiro, totalizando 15% de reajuste. Para os salários acima do piso, a contraproposta das empresas é a correção pelo INPC, sem aumento real.

ACORDO – Em contatos por telefone com os representantes dos patrões, a Comissão de Negociação dos jornalistas já sinalizou que sem uma resposta ao conjunto da pauta e aumento real dos salários não há sequer condição de submeter a contraproposta à assembleia geral dos trabalhadores, quanto mais a perspectiva de chegar a um acordo – o que ambas as partes afirmam desejar.

Anteriormente prevista para o dia 4 de junho, a retomada das negociações ainda não aconteceu sob a alegação de que um dos representantes da bancada patronal está viajando. A expectativa agora é de que o diálogo seja retomado no início de julho.

POSICIONAMENTO PATRONAL ATÉ 30 DE MAIO
…………………………………………………………………………………………..
Cláusulas aceitas
1 – Vigência e data-base; 5 – Data de Pagamento; 6 – Compensação; 7 – Admitidos após a data-base; 8 – Contrato de Experiência; 9 – Salário Substituto; 11 – Comprovante de pagamento; 23 – Seguro viagem; 24 – Auxílio creche (redefinida como “Auxílio educação infantil, no valor de R$ 150,00); 26 – Gratificação de aposentadoria
…………………………………………………………………………………………..
Cláusulas em negociação
3 – Piso salarial; 4 – Reajuste salarial
…………………………………………………………………………………………..
Cláusulas rejeitadas
10 – Isonomia salarial entre homens e mulheres; 14 – Adicional por tempo de serviço; 17 – Adicional noturno; 18 – Adicional por regime de exclusividade
…………………………………………………………………………………………..
Cláusulas com modificações
15 – Participação nos Lucros e Resultados; 16 – Horas extras; 21 – Vale alimentação; 27 – Auxílio funeral (para estas os prepostos patronais ficaram de apresentar nova redação e propostas)
…………………………………………………………………………………………..
Cláusulas a manter da CCT
22 – Diária por viagem; 25 – Transporte noturno, 28 – Novas técnicas e equipamentos
…………………………………………………………………………………………..
Cláusulas para voltar a discutir
2 – Abrangência; 12 – Mora salarial; 13 – Salário substituição; 19 – Adicional de periculosidade; 20 – Risco de morte
…………………………………………………………………………………………..
Cláusulas ainda sem posição
Da 29ª à 65ª
…………………………………………………………………………………………..

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -
Google search engine

Most Popular

Recent Comments

Daniel A. Santos on Legislação dos jornalistas
Antônio Carlos Costa on As multidões e os protestos
FERNANDO MARGHETTI NUNES on Dez desejos para o jornalismo em 2016
leonelcamasao on Legislação dos jornalistas
Maria Tercilia Bastos on Nota de pesar
valmor on Convênios
Vilma Gomes Pinho on Convênios