InícioNOTÍCIASApós 7 dias de paralisação jornalistas do Grupo RBA garantem aumento de...

Após 7 dias de paralisação jornalistas do Grupo RBA garantem aumento de 30%

grevepara2Os jornalistas do Dário do Pará e do portal DOL encerraram no dia 27 de setembro, a greve iniciada dia 20. Conquistaram a elevação do piso salarial em 30% a partir de outubro, estabilidade no emprego de 45 dias e a compensação dos dias parados. Além disso, o piso salarial evoluirá para R$ 1.500 a partir de abril.

“Saímos vitoriosos desta luta. Mostramos para o Brasil que só com a união e a força da categoria conseguiremos assegurar nossos direitos. Há vinte e seis anos não se via uma manifestação desta magnitude. Os jornalistas paraenses mostraram seu verdadeiro valor”, comemorou a presidente do Sindicato dos Jornalistas no Estado do Pará (Sinjor-PA), Sheila Faro, após a assinatura do acordo coletivo com o Grupo RBA.

O acordo entre o Sinjor-PA e o Grupo Rede Brasil Amazônia de Comunicação (RBA), de propriedade da família do senador Jáder Barbalho e afiliado à Band, assegurou a instituição do piso salarial para os jornalistas do Diário do Pará, Portal Diário Online e TV RBA, que passa dos atuais R$ 1.000 para R$ 1.300, a partir do dia 1º de outubro. O valor representa o aumento de 30%, um dos maiores reajustes salariais de todo o país. Em abril de 2014, este mesmo piso será elevado para R$ 1.500.

Também ficou acertada a reposição integral da inflação acumulada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor – INPC, no período de 2012/2013, para quem não ganha o piso; a garantia de estabilidade de 45 dias no emprego para os trabalhadores, o pagamento dos dias parados e a compensação em até três meses dos dias em que os funcionários estiveram em greve.

Para Sheila Faro, o acordo representa um avanço na história do jornalismo paraense, pois o Sindicato sai fortalecido e se destaca como legítimo representante da categoria. “Este acordo foi um divisor de águas que ficará marcado para sempre no cenário local e nacional”, disse.

De acordo com a presidente, tudo começou com a campanha “Jornalista Vale Mais”, que levou os jornalistas paraenses para a rua. “Esse movimento aliado à coragem dos trabalhadores do grupo RBA, mostrou pra sociedade todos os problemas enfrentados pela categoria dentro das redações. Os jornalistas estão de parabéns.”, destacou. Sheila considera que a greve no Grupo RBA servirá de parâmetro para as futuras negociações dos jornalistas que trabalham em outros veículos de comunicação.

Para o diretor de relações institucionais da FENAJ, José Carlos Torves, que esteve em Belém no dia 26 levando o apoio da Federação aos jornalistas, o movimento dos profissionais do Diário do Pará e DOL foi amplamente vitorioso e é uma referência para a categoria em outros estados. “Infelizmente a precarização das condições de trabalho e baixos salários dos jornalistas é uma realidade nacional”, diz.

Neste momento há negociações das campanhas salariais em vários estados e a intransigência patronal, segundo Torves, é o principal empecilho à valorização do trabalho dos jornalistas. “Os patrões insistem em arrochar salários e cometer irregularidades trabalhistas. Ao que tudo indica só entendem uma linguagem, a das mobilizações”, conclui.

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Most Popular

Recent Comments

Daniel A. Santos on Legislação dos jornalistas
Antônio Carlos Costa on As multidões e os protestos
FERNANDO MARGHETTI NUNES on Dez desejos para o jornalismo em 2016
leonelcamasao on Legislação dos jornalistas
Maria Tercilia Bastos on Nota de pesar
valmor on Convênios
Vilma Gomes Pinho on Convênios