sábado, dezembro 10, 2022
InícioAÇÃO SINDICAL1º de Maio unificado em defesa da previdência pública e dos direitos...

1º de Maio unificado em defesa da previdência pública e dos direitos dos trabalhadores

O ataque sem precedentes do atual governo aos direitos conquistados pelos trabalhadores brasileiros exige reação e união. Neste sentido, as centrais sindicais e movimentos sociais realizam, neste 1º de Maio, atos unificados em todo o Brasil em defesa da Previdência Pública e de combate à proposta do governo Bolsonaro de acabar com o direito à aposentadoria.

Neste Dia Internacional do Trabalhador, as centrais sindicais CUT, Força Sindical, CTB, Intersindical, CSP-Conlutas, Nova Central, CGTB, CSB e UGT -, além das frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo anunciam a convocação de uma greve geral contra a Reforma da Previdência, com data indicativa para 14 de junho.

Esta é a primeira vez na história que as centrais sindicais brasileiras se unem em um ato unificado de 1º de maio. Isto porque a reforma que Bolsonaro diz que quer fazer para combater privilégios praticamente acaba com o direito à aposentadoria de milhões de trabalhadores – em especial os rurais e os mais pobres – e favorece os bancos (que serão os mais beneficiados caso essa reforma seja aprovada) e os grandes devedores da previdência.

Se o Congresso Nacional aprovar o texto da PEC 006/2019, além da obrigatoriedade da idade mínima de 65 anos para os homens e 62 para as mulheres, o valor das aposentadorias será drasticamente rebaixado. Para ter acesso ao benefício integral, os trabalhadores e trabalhadoras terão de contribuir por, pelo menos, 40 anos, num país que hoje tem mais de 12 milhões de desempregados, além de mais de 37 milhões de trabalhadores na informalidade.

O saco de maldades que esta proposta de reforma envolve inclui, entre outras medidas nefastas, o aumento da contribuição previdenciária de assalariados e funcionários públicos, a necessidade de trabalhadores rurais terem que comprovar ao menos 20 anos de contribuição, e a diminuição do valor pago aos idosos pobres de um salario mínimo para 400 reais.

Contra tudo isso, o SJSC e a FENAJ conclamam os jornalistas a integrem-se às mobilizações deste 1º de Maio.

Confira algumas das atividades do 1º de maio em SC

Florianópolis

9h – Concentração no Parque do Maciço do Morro da Cruz

9h30 – Atividades Culturais

10h – Culto Ecumênico

11h – Panfletagem e diálogo com a comunidade sobre a Reforma da Previdência

 

Palhoça

14h – no Campo de Futebol Frei Damião, com atividades culturais, recreação para as crianças e debate sobre a Reforma da Previdência

 

Blumenau

15h – Ato público unificado na Praça da Prefeitura

 

Chapecó

Assembleia da classe trabalhadora contra a Reforma da Previdência

 

15h – Sindicato dos Bancários de Chapecó (Rua Porto Alegre, esquina com Benjamim Constant)

 

Lages

Ocupa Calçadão em defesa da Previdência Pública e dos direitos dos Trabalhadores

Local: Calçadão Centro de Lages (Em frente ao Banco do Brasil)

A partir das 15h, com atividades culturais e debates sobre os impactos da Reforma da Previdência na vida dos trabalhadores na iniciativa privada e no serviço público

 

Caçador

Roda de conversa com chimarrão em defesa dos direitos no parque central de Caçador

 

Araquari

17ª Romaria do Trabalhador e da Trabalhadora

No Santuário Senhor Bom Jesus de Araquari, das 8h às 12h – com apresentações culturais, confissões, Celebração Eucarística, caminhada, bênção das carteiras de trabalho e almoço.

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Most Popular

Recent Comments

Daniel A. Santos on Legislação dos jornalistas
Antônio Carlos Costa on As multidões e os protestos
FERNANDO MARGHETTI NUNES on Dez desejos para o jornalismo em 2016
leonelcamasao on Legislação dos jornalistas
Maria Tercilia Bastos on Nota de pesar
valmor on Convênios
Vilma Gomes Pinho on Convênios