InícioAÇÃO SINDICAL1º de Maio unificado em defesa da previdência pública e dos direitos...

1º de Maio unificado em defesa da previdência pública e dos direitos dos trabalhadores

O ataque sem precedentes do atual governo aos direitos conquistados pelos trabalhadores brasileiros exige reação e união. Neste sentido, as centrais sindicais e movimentos sociais realizam, neste 1º de Maio, atos unificados em todo o Brasil em defesa da Previdência Pública e de combate à proposta do governo Bolsonaro de acabar com o direito à aposentadoria.

Neste Dia Internacional do Trabalhador, as centrais sindicais CUT, Força Sindical, CTB, Intersindical, CSP-Conlutas, Nova Central, CGTB, CSB e UGT -, além das frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo anunciam a convocação de uma greve geral contra a Reforma da Previdência, com data indicativa para 14 de junho.

Esta é a primeira vez na história que as centrais sindicais brasileiras se unem em um ato unificado de 1º de maio. Isto porque a reforma que Bolsonaro diz que quer fazer para combater privilégios praticamente acaba com o direito à aposentadoria de milhões de trabalhadores – em especial os rurais e os mais pobres – e favorece os bancos (que serão os mais beneficiados caso essa reforma seja aprovada) e os grandes devedores da previdência.

Se o Congresso Nacional aprovar o texto da PEC 006/2019, além da obrigatoriedade da idade mínima de 65 anos para os homens e 62 para as mulheres, o valor das aposentadorias será drasticamente rebaixado. Para ter acesso ao benefício integral, os trabalhadores e trabalhadoras terão de contribuir por, pelo menos, 40 anos, num país que hoje tem mais de 12 milhões de desempregados, além de mais de 37 milhões de trabalhadores na informalidade.

O saco de maldades que esta proposta de reforma envolve inclui, entre outras medidas nefastas, o aumento da contribuição previdenciária de assalariados e funcionários públicos, a necessidade de trabalhadores rurais terem que comprovar ao menos 20 anos de contribuição, e a diminuição do valor pago aos idosos pobres de um salario mínimo para 400 reais.

Contra tudo isso, o SJSC e a FENAJ conclamam os jornalistas a integrem-se às mobilizações deste 1º de Maio.

Confira algumas das atividades do 1º de maio em SC

Florianópolis

9h – Concentração no Parque do Maciço do Morro da Cruz

9h30 – Atividades Culturais

10h – Culto Ecumênico

11h – Panfletagem e diálogo com a comunidade sobre a Reforma da Previdência

 

Palhoça

14h – no Campo de Futebol Frei Damião, com atividades culturais, recreação para as crianças e debate sobre a Reforma da Previdência

 

Blumenau

15h – Ato público unificado na Praça da Prefeitura

 

Chapecó

Assembleia da classe trabalhadora contra a Reforma da Previdência

 

15h – Sindicato dos Bancários de Chapecó (Rua Porto Alegre, esquina com Benjamim Constant)

 

Lages

Ocupa Calçadão em defesa da Previdência Pública e dos direitos dos Trabalhadores

Local: Calçadão Centro de Lages (Em frente ao Banco do Brasil)

A partir das 15h, com atividades culturais e debates sobre os impactos da Reforma da Previdência na vida dos trabalhadores na iniciativa privada e no serviço público

 

Caçador

Roda de conversa com chimarrão em defesa dos direitos no parque central de Caçador

 

Araquari

17ª Romaria do Trabalhador e da Trabalhadora

No Santuário Senhor Bom Jesus de Araquari, das 8h às 12h – com apresentações culturais, confissões, Celebração Eucarística, caminhada, bênção das carteiras de trabalho e almoço.

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -
Google search engine

Most Popular

Recent Comments

Daniel A. Santos on Legislação dos jornalistas
Antônio Carlos Costa on As multidões e os protestos
FERNANDO MARGHETTI NUNES on Dez desejos para o jornalismo em 2016
leonelcamasao on Legislação dos jornalistas
Maria Tercilia Bastos on Nota de pesar
valmor on Convênios
Vilma Gomes Pinho on Convênios