sábado, dezembro 3, 2022
InícioNOTÍCIASSindicato dos Jornalistas discute, quarta (28), a palavra/crônica com Flávio José...

Sindicato dos Jornalistas discute, quarta (28), a palavra/crônica com Flávio José Cardozo

19h, Plenarinho da Assembleia Legislativa

Este ano completam-se 40 anos da edição do livro Singradura, a primeira das tantas obras de Flávio José Cardozo, jornalista e escritor catarinense. São 20 contos que se unificam na temática homem-mar e no cotidiano da gente simples desta ilha de Santa Catarina. Figuras como o músico Mané Flor, Ti´Orquídea, uma negra lavadeira, Marinês, Marcelina e Marília, que protagoniza o conto que dá nome ao livro, passeiam pelas páginas e nos oferecem o drama e a alegria de viver aqui. Mas, ao mesmo tempo são histórias tão universais que poderiam acontecer em qualquer lugar do mundo.

A pena certeira de Flávio ao narrar estas vidas catarinas tem simplicidade e profundidade em equilíbrio. E nesse olhar sobre o dia-a-dia das gentes, concretizado em contos e crônicas, se revela o olho do jornalista. Aquele que vê a vida em movimento e que percebe a história humana em cada fato aparentemente comum da vida que escorre pelos dias.

O Sindicato dos Jornalistas, no projeto Círculo da Palavra, presta uma homenagem a este importante cronista catarinense e ao mesmo tempo busca um diálogo com estudantes e jornalistas, na discussão da crônica, gênero literário, mas também jornalístico, que tão bem Flávio usa para narrar a vida.

Para isso, realiza no próximo dia 28 de abril uma conversa com Flávio José Cardozo, às 19h, no Plenarinho da Assembleia Legislativa. A intenção é celebrar estes 40 anos da sua primeira obra e debater sobre a importância da palavra e da literatura no processo do fazer jornalístico.

O autor – Flávio Cardozo nasceu dentro do círculo do carvão, na pequena Lauro Müller, em 1938. Cursou Jornalismo na PUC/RS. Durante vários anos ocupou o espaço da crônica no jornal Diário Catarinense. Em 1965 venceu o Concurso Universitário de Contos em Porto Alegre; em 1967 o Concurso Nacional de Contos em Florianópolis; em 1968 o I Concurso Nacional de Contos em Curitiba; e em 1977 o Concurso Remington de Literatura no Rio. Seu primeiro livro de contos publicado foi “Singradura” (1970). Em 1978 lançou “Zélica e Outros”. Ambos são ambientados na ilha de Santa Catarina, num tempo “mais ingênuo”, em que a ilha ainda não era um pólo turístico agitado. O autor retrato com profundidade a condição humana e suas paixões mais elementares. Seus outros livros publicados são “Água do pote” (1982 – crônicas), “Sobre sete viventes” (1985 – crônicas), “Longínquas baleias” (1986 – contos), “Beco da lamparina” (1985 – crônicas), “Sofá na rua” (1988 – crônicas), “Tiroteio depois do filme” (1989 – crônicas) e “Senhora do meu desterro” (1991 – crônicas). Publicou também um romance, “Guatá”, que abre-se para o mundo mineiro, de onde saiu.

Flávio José Cardozo é membro da Academia Catarinense de Letras.

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Most Popular

Recent Comments

Daniel A. Santos on Legislação dos jornalistas
Antônio Carlos Costa on As multidões e os protestos
FERNANDO MARGHETTI NUNES on Dez desejos para o jornalismo em 2016
leonelcamasao on Legislação dos jornalistas
Maria Tercilia Bastos on Nota de pesar
valmor on Convênios
Vilma Gomes Pinho on Convênios