InícioNOTÍCIASTribunal de Justiça de Sergipe mantém condenação ao jornalista Cristian Góes

Tribunal de Justiça de Sergipe mantém condenação ao jornalista Cristian Góes

cristian_tjEm decisão proferida no dia 22 de outubro, o Tribunal de Justiça de Sergipe condenou o jornalista Cristian Góes, ex-presidente do Sindicato dos Jornalistas do estado, a 7 meses e 16 dias de prisão. Por 2 votos a 1, a decisão mantém a sentença de primeira instância estabelecida no dia 4 de julho no processo criminal movido pelo vice-presidente do TJ/SE, desembargador Edson Ulisses, que se sentiu ofendido por um artigo fictício escrito pelo jornalista.

Cunhado do governador Marcelo Deda, Edson Ulisses alegou que a crônica literária “Eu, o coronel em mim”, escrita pelo jornalista em maio de 2012, ataca diretamente o governador e a ele. O texto em primeira pessoa não cita nome de ninguém. Mas o desembargador considerou-se pessoalmente ofendido pela expressão “jagunço das leis” e pediu a prisão do jornalista por injúria.

No julgamento pela turma recursal do TJ, o juiz relator, Hélio Mesquita Neto, considerou o processo irregular, votando pela absolvição de Cristian Góes. No entanto, os juízes José Anselmo de Oliveira e Maria Angélica França e Souza votaram contra o parecer do relator e mantiveram a condenação de primeira instância.

Em nota oficial, o Sindicato dos Jornalistas de Sergipe (SINDIJOR-SE) solidarizou-se com o profissional e repudiou a decisão, caracterizada como absurda, autoritária, prepotente e arrogante: “Para o SINDIJOR, não restam dúvidas que a decisão do colegiado do Tribunal de Justiça de Sergipe se configura como um ataque à liberdade de imprensa e expressão, direito fundamental para o exercício da cidadania”.

Segundo a entidade, o posicionamento dos que votaram contra o parecer do relator não observaram o que determina a Constituição Brasileira em seu artigo 5º, IX, que expressa claramente ser “livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independente de licença ou censura”.

Celso Schröder, presidente da FENAJ, considerou a decisão absurda e inaceitável. “Um julgamento desses, num ambiente permeado por influências políticas, caracteriza um cerceamento às liberdades de expressão e de imprensa, merecendo repúdio, denúncia e recurso a instâncias superiores do judiciário”, disse, disponibilizando o apoio da Federação ao jornalista processado.

Cristian Góes já adiantou ao presidente do Sindicato dos Jornalistas de Sergipe, Paulo Sousa, que irá recorrer da sentença e que foi convidado para participar de uma audiência na Organização dos Estados Americanos (OEA), na próxima terça-feira, para discutir o assunto.

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Most Popular

Recent Comments

Daniel A. Santos on Legislação dos jornalistas
Antônio Carlos Costa on As multidões e os protestos
FERNANDO MARGHETTI NUNES on Dez desejos para o jornalismo em 2016
leonelcamasao on Legislação dos jornalistas
Maria Tercilia Bastos on Nota de pesar
valmor on Convênios
Vilma Gomes Pinho on Convênios