InícioAÇÃO SINDICALLive com Leandro Demori, Schirlei Alves e Rogério Christofoletti discute perseguição a...

Live com Leandro Demori, Schirlei Alves e Rogério Christofoletti discute perseguição a jornalistas

:. Transmissão do Sindicato ao Vivo será nesta quarta-feira, às 20h, pelo Facebook

O último Relatório da Violência contra Jornalista e Liberdade de Imprensa da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) constatou que 2020 foi o ano mais violento para os profissionais brasileiros. Em relação ao ano anterior, o aumento foi de 100% dos casos, o que revela fragilidade na liberdade de imprensa no país.

O maior crescimento foi nas categorias de censura, agressões verbais e ataques virtuais. Também houve aumento nos casos de agressões físicas e de cerceamento à liberdade de imprensa por ações judiciais. No relatório, a Fenaj destaca que o registro de duas mortes de jornalistas, por dois anos seguidos, é evidência concreta de que há insegurança para o exercício da profissão no Brasil.

Jornalista é investigado pela polícia do Rio

Diante desta realidade, o Sindicato dos Jornalistas de Santa Catarina (SJSC) promove live especial nesta quarta-feira (22), às 20h, para tratar sobre o tema. Participam desta edição o editor executivo do The Intercept Brasil (TIB), Leandro Demori, que está sendo alvo de um inquérito da Polícia Civil após ter publicado reportagem sobre a atuação de policiais na favela do Jacarezinho. No texto, Demori cita evidências sobre a possível existência de um grupo de matadores na coordenadoria de recursos especiais da Polícia Civil no Rio. 

Quem divide essa conversa com Demori é a jornalista freelancer Schirlei Alves que foi alvo de ataques virtuais e ações judiciais após ter publicado reportagem, também no TIB, sobre o caso Mariana Ferrer. A publicação repercutiu internacionalmente e motivou protestos em apoio às vítimas de violência sexual em vários países. A reportagem também provocou a elaboração de dois projetos de lei que tramitam na Câmara dos Deputados e preveem a criminalização de ato ou omissão de agente público que prejudique atendimento à vítima e proteção a vítimas de estupro em julgamento. 

Bolsonaro lidera ataques à imprensa

Quem conduz essa conversa é a jornalista Cristina de Marco, da Comissão de Comunicação e Eventos do SJSC, e o convidado Rogério Christofoletti, professor e coordenador de pós-graduação em jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina e pesquisador do CNPq. Christofoletti é um dos líderes do Observatório da Ética Jornalística (objETHOS) e faz parte do Conselho de Ética da Lupa. O professor nos ajudará a compreender a atual realidade da imprensa no Brasil.

E por falar nisso, o presidente Jair Bolsonaro tem sido um dos principais agressores à jornalistas, uma vez que sozinho ele foi responsável por 40,89% dos ataques que tentaram descredibilizar a imprensa. Nesta semana, ele foi protagonista de mais um caso que repercutiu nacionalmente. O presidente mandou uma repórter da Rede Vanguarda, afiliada da Rede Globo, “calar a boca” e tirou a máscara durante a entrevista. Além de atacar a emissora onde a repórter trabalha, Bolsonaro disse à profissional que ela “deveria ter vergonha na cara de se prestar a um serviço porco que é esse feito na Rede Globo”. Bolsonaro tornou-se agressivo durante a entrevista após ter sido questionado por que chegou sem máscara em Guaratinguetá (SP), onde cumpria agenda oficial.

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -
Google search engine

Most Popular

Recent Comments

Daniel A. Santos on Legislação dos jornalistas
Antônio Carlos Costa on As multidões e os protestos
FERNANDO MARGHETTI NUNES on Dez desejos para o jornalismo em 2016
leonelcamasao on Legislação dos jornalistas
Maria Tercilia Bastos on Nota de pesar
valmor on Convênios
Vilma Gomes Pinho on Convênios