InícioSOCIEDADEFrente Povo Sem Medo dá primeiros passos em Santa Catarina

Frente Povo Sem Medo dá primeiros passos em Santa Catarina

frente-povo-sem-medo-8-de-outubroCerca de 40 pessoas se reuniram nesta terça-feira (17/11), em Florianópolis, para iniciar os trabalhos da Frente Povo Sem Medo em Santa Catarina. O encontro reuniu representantes de sindicatos e movimentos sociais, na sede do Sintrasem, em Florianópolis.

Impulsionada nacionalmente pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), a Frente Povo Sem Medo organiza-se como uma frente nacional de mobilização contra as políticas de ajuste fiscal do governo federal e também contra a ofensiva conservadora no Congresso Nacional.

Após um debate prévio, definiu-se que cada organização indicaria um representante para compor o operativo estadual da Frente, que permanece aberto para novas organizações que desejem se integrar ao processo. A expectativa é fazer o lançamento da frente ainda em dezembro.

Fora Cunha e o ajuste fiscal

IMG_20151117_204633573Ficou indicado que o operativo da frente vai orientar suas bases a participar do ato de quinta-feira contra o PL 5069, de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que prevê, mesmo nos casos em que o aborto é permitido, punição aos profissionais de saúde que facilitarem este procedimento, infringindo profundamente os direitos das mulheres.

Dentre os principais eixos da frente, encontram-se a radicalização da democracia e as reformas populares; a luta contra o racismo, o machismo, a homofobia e a intolerância religiosa; à luta contra a criminalização dos movimentos sociais e contra o ajuste fiscal.

Estiveram presentes representantes da Intersindical – Central da Classe Trabalhadora, Aprasc, Sindsaúde, Sindicato dos Jornalistas, sindicatos de municipários de Joinville (Sinsej), Florianópolis (Sintrasem) e Biguaçu (Sintramubi).

Também haviam representantes do movimento popular e de moradia de Joinville, Fórum Catarinense em Defesa do SUS, Juventude Socialismo e Liberdade (JSOL), Juventude Marxista (JM), Juventude Comunista Avançando (JCA), Brigadas Populares, União Joinvilense dos Estudantes Secundaristas (Ujes) e Oposição de Esquerda da UNE.

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) enviou carta, dizendo que não poderia participar da reunião, por já ter outros compromissos na mesma data.

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Most Popular

Recent Comments

Daniel A. Santos on Legislação dos jornalistas
Antônio Carlos Costa on As multidões e os protestos
FERNANDO MARGHETTI NUNES on Dez desejos para o jornalismo em 2016
leonelcamasao on Legislação dos jornalistas
Maria Tercilia Bastos on Nota de pesar
valmor on Convênios
Vilma Gomes Pinho on Convênios