InícioNOTÍCIAS35º CNJ define a pauta de lutas dos jornalistas para os próximos...

35º CNJ define a pauta de lutas dos jornalistas para os próximos dois anos

Do dia 7 a 10 de novembro, cerca de 180 pessoas participaram do 35º Congresso Nacional dos Jornalistas, que ocorreu em Rio Branco, capital do Acre. No evento foram aprovadas as prioridades da luta dos jornalistas para o próximo período, como a defesa do desenvolvimento com sustentabilidade, a aprovação de um novo marco regulatório das comunicações no Brasil, a aprovação da PEC dos Jornalistas, a celebração de um protocolo nacional contemplando o Piso Nacional, o respeito aos direitos autorais dos jornalistas, medidas para garantir a segurança dos trabalhadores no exercício da profissão e a criação da Comissão Memória, Verdade e Justiça da FENAJ.

No último dia de evento os participantes puderam optar duas oficinas que abordaram discussões mais voltadas para o interesse da categoria: “Rádio pública e a democratização dos meios de comunicação”, explanada pela diretora da FENAJ e vice presidente do Sindicato dos Jornalistas de Santa Catarina, Valci Zuculoto, e “Jornalismo investigativo e segurança no trabalho”, ministrado pela diretora da FENAJ e presidente do Sindicato dos Jornalistas do Município do Rio de Janeiro, Suzana Blass.

Também no sábado houve o lançamento do Relatório “Violência e Liberdade de Imprensa no Brasil 2011”, elaborado pela Comissão de Direitos Humanos da Federação, e da Comissão Nacional “Memória, Verdade e Justiça” da FENAJ, que visa colher informações e depoimentos sobre jornalistas agredidos na ditadura militar a serem, posteriormente, encaminhados à Comissão Nacional da Verdade, do Governo Federal. Os trabalhos da Comissão serão coordenados pelo diretor do SJSC e da FENAJ, Sérgio Murillo de Andrade.

O presidente da FENAJ, Celso Schroder, explica que haverá apoio técnico de sistematização para coleta dos dados em cada Estado. “A ideia é que a Comissão Nacional da FENAJ articule com as comissões estaduais para recebimento do material”, informa.

No evento, Gilney Viana, assessor especial da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República e coordenador do Projeto Direito à Memória e à Verdade da SDH, exibiu um documentário produzido em 2009, alusivo aos 30 anos da anistia, com imagens inéditas do período da ditadura. Nos debates, destacou-se que, apesar da ampla campanha Nacional pela Anistia Geral e Irrestrita, a Lei da Anistia aprovada foi um acordo das elites que não reparou os crimes cometidos contra os ativistas políticos e seus familiares que foram vitimas da repressão e isentou os autores e mandantes da violência de Estado.

O presidente da FENAJ, Celso Schröder, acredita que o tema ambiental foi inovador. “Pela primeira vez abordamos o tema meio ambiente, resultando em inúmeros debates interessantes que ressaltaram a prática do Jornalismo como mecanismo de incitar a participação popular nas decisões sustentáveis”, diz.

A diretora do Sindicato dos Jornalistas do Acre, Jane Vasconcelos, fez avaliação positiva do 35º CNJ e V ENJI. Ela relata que, apesar dos desafios para a organização do evento, as expectativas foram supridas. “Foi o nosso primeiro Congresso aqui no Acre. Os jornalistas discutiram um tema imprescindível para o planeta. Foi uma semente plantada para a mudança de vida das pessoas. Conseguimos passar a mensagem aos profissionais”, comemora.

Na plenária final, além da aprovação de diversas teses e da cidade de Maceió para sediar o 36º Congresso Nacional dos Jornalistas, a realizar-se em 2014, foi aprovada a Carta de Rio Branco, que sintetiza as principais deliberações do evento. Leia aqui a Carta de Rio Branco

Kalyne Carvalho
Assessora de Imprensa – Sindicato dos Jornalistas de Santa Catarina

Foto: Hermínio Nunes

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Most Popular

Recent Comments

Daniel A. Santos on Legislação dos jornalistas
Antônio Carlos Costa on As multidões e os protestos
FERNANDO MARGHETTI NUNES on Dez desejos para o jornalismo em 2016
leonelcamasao on Legislação dos jornalistas
Maria Tercilia Bastos on Nota de pesar
valmor on Convênios
Vilma Gomes Pinho on Convênios