InícioNOTÍCIASAvarentos, patrões abandonam negociações e mantêm proposta de aumento zero

Avarentos, patrões abandonam negociações e mantêm proposta de aumento zero

TIOPATINHASMesmo com o bom desempenho econômico registrado no ano passado e contemplados pela MP 612/13, de desoneração da folha de pagamento para 2014, os empresários de jornais e revistas de Santa Catarina continuam irredutíveis em sua proposta de aumento zero para os jornalistas. O silêncio sepulcral e o abandono da mesa de negociações são demonstrações de desrespeito e de absoluto descompromisso com a valorização dos profissionais responsáveis pela atividade-fim de suas empresas. O SJSC solicitou nova audiência de conciliação na Superintendência Regional do Trabalho/SC para o dia 13 de agosto e prosseguirá denunciando a intransigência patronal.

A última rodada de negociações entre o SJSC e o Sindejor/SC ocorreu no dia 4 de junho. Em duas outras rodadas previamente estabelecidas, foram dadas desculpas pouco convincentes para a ausência da bancada patronal. A diretoria do SJSC vem buscando a retomada das negociações através de contatos telefônicos, mas os representantes patronais se esquivam ou simplesmente informam que “não há novidade” em relação à posição da diretoria do Sindejor/SC, presidido pela proprietária do Correio Lageano, Isabel Baggio. Na prática, a “contraproposta” das empresas se resume ao sovina reajuste da inflação (7,16%, pelo INPC).

Com o crescimento médio de 7% nos investimentos publicitários registrado em 2012 e balanços financeiros positivos, as empresas de comunicação estão incluídas na MP 612/2013, que beneficia 14 setores da economia e permite que a contribuição patronal do INSS, de 20% sobre os salários dos funcionários, seja trocada por uma alíquota que varia de 1% a 2% sobre o faturamento bruto, a vigorar a partir de janeiro de 2014. Ainda assim – e sem conseguir sustentar seus argumentos de dificuldades frente ao cenário conjuntural -, apresentaram uma proposta rebaixada aos jornalistas (que na prática reajusta o piso para míseros R$ 1.714,56) e pediram “reflexão”.

Demonstrando de fato disposição em chegar a um acordo, os representantes dos jornalistas apresentaram uma proposta alternativa. A reflexão patronal, no entanto, é igual à sua proposta de aumento salarial: ZERO. O SJSC denunciou a intransigência das empresas em atos públicos e contatos com parlamentares e órgãos públicos e privados.

“Como na prática o sindicato dos jornais retirou-se da negociação coletiva, solicitamos nova audiência na SRTE, já agendada para as 14 horas do dia 13 de agosto”, adianta o presidente do SJSC, Valmor Fritsche. “E estamos organizando novos protestos em dois grandes eventos programados para os próximos dias”.

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Most Popular

Recent Comments

Daniel A. Santos on Legislação dos jornalistas
Antônio Carlos Costa on As multidões e os protestos
FERNANDO MARGHETTI NUNES on Dez desejos para o jornalismo em 2016
leonelcamasao on Legislação dos jornalistas
Maria Tercilia Bastos on Nota de pesar
valmor on Convênios
Vilma Gomes Pinho on Convênios