InícioREFORMA POLÍTICAJornal compara Cunha a protagonista de "House of Cards"

Jornal compara Cunha a protagonista de “House of Cards”

 cms-image-000361830O jornal americano The Washington Post publicou reportagem na última sexta-feira (29/5) sobre o parlamento brasileiro. O personagem principal é o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que é chamado de “Frank Underwood brasileiro”, em referência ao protagonista corrupto da série “House of Cards”, exibido pela Netflix.

Intitulado O “Frank Underwood” brasileiro dá suporte ao governo ou quer derrubá-lo?, o texto de Dom Phillips menciona que Cunha é “evangélico cristão” e toca bateria. Segundo a matéria, a ação parlamentar do político coloca em xeque a base aliada e abre “fissuras amplas nas alianças frágeis” do governo de Dilma Rousseff (PT).

Ao abordar a reforma política pautada por Cunha, a reportagem pontua que ele rejeitou o trabalho da comissão especial e levou as proposições direto para plenário. O texto também menciona as decisões da Câmara, como a que elevou de 70 para 75 anos de idade-limite da aposentadoria compulsória de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e outros cargos.

O cientista político José Álvaro Moisés, da Universidade de São Paulo (USP), avaliou o momento da política brasileira como um divisor de águas. “A oposição não está cumprindo bem o seu papel. Então esse espaço está sendo ocupado pelo PMDB”, observou em entrevista ao jornal.

O Post lembra ainda que Cunha recebeu doações da Camargo Corrêa, uma das construtoras investigadas na Operação Lava-Jato, na campanha de 2010, e que a senha do computador dele na Câmara foi usada para fazer um requerimento com pedido de informações a uma empresa suspeita de pagar propina a políticos com dinheiro desviado da Petrobras.

Para Rodrigo Motta, professor de história da Universidade Federal de Minas Gerais e autor de livro sobre o PMDB, o presidente da Câmara não tem ideologia. “Ele não tem nenhuma ideologia. A sua ideologia é a do poder”, opinou.

Segundo a publicação, concorrer contra o PT nas eleições de 2018 pode significar uma disputa com Lula, já que Dilma está no segundo mandato e não pode mais se reeleger. O texto diz ainda que Cunha fez sucesso com o pensamento conservador brasileiro ao defender ideais no intuito de agradar multidões com a redução da maioridade penal para 16 anos e ao defender a criação de um “dia do orgulho hétero”.

Em recente entrevista ao Valor Econômico, o deputado comentou sobre sobre as diversas analogias ao personagem de “House of Cards”. “Eu vi essa série. Existem três diferenças clássicas, ali: o cara é um assassino, o cara é um corrupto e o cara ainda é um homossexual. Não dá para eu aceitar essa comparação. É ofensiva”, disse.

Fonte: Portal Imprensa

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Most Popular

Recent Comments

Daniel A. Santos on Legislação dos jornalistas
Antônio Carlos Costa on As multidões e os protestos
FERNANDO MARGHETTI NUNES on Dez desejos para o jornalismo em 2016
leonelcamasao on Legislação dos jornalistas
Maria Tercilia Bastos on Nota de pesar
valmor on Convênios
Vilma Gomes Pinho on Convênios