InícioNOTÍCIASCampanha 'Da Proibição Nasce o Tráfico' é censurada em São Paulo

Campanha ‘Da Proibição Nasce o Tráfico’ é censurada em São Paulo

drogas
São Paulo
– A campanha Da Proibição Nasce o Tráfico, com críticas à “guerra às drogas” e criada pelos cartunistas Angeli, Laerte, André Dahmer, Arnaldo Branco e Leonardo foi censurada a semana passada em São Paulo. Os cartuns já circulavam nas traseiras de ônibus no Rio de Janeiro e não ficaram nem 48 horas nos ônibus de da capital paulista.

Da Proibição Nasce o Tráfico é uma campanha criada para estimular o debate público sobre os danos que a criminalização de determinadas drogas causa à sociedade. A campanha utiliza estratégias criativas de comunicação e conta com parceiros engajados no tema para demonstrar como o modelo policial de tratar do tema falha em seu principal objetivo: diminuir o consumo de psicotrópicos e garantir segurança e bem-estar.

Logo após os adesivos serem distribuídos e afixados nos ônibus, todos foram retirados. A Panorama, empresa responsável pelos anúncios veiculados nos ônibus, diz ter recebido a ordem da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU). O argumento do governo era que a campanha “faz apologia às drogas e era um desrespeito aos policiais”.

A censura por parte do governo do Estado aconteceu justamente durante o lançamento da Plataforma Brasileira de Política de Drogas, também na capital paulista. Enquanto juristas, médicos, ativistas, pacientes, jornalistas, alunos, políticos, professores e usuários defendiam juntos a ampliação do debate e o fim da política de repressão aos psicoativos, a empresa responsável por uma parte do transporte de São Paulo, proibiu a veiculação da campanha.

O jornalista Bruno Torturra, que fez parte da criação da campanha junto com os idealizadores – o cartunista Laerte e Julita Lemgruber, coordenadora do Centro de Estudos de Segurança e Cidadania (CESeC) da Universidade Candido Mendes –, cobrou esclarecimentos do governo em sua página pessoal no Facebook. “Peço ajuda para que divulguem esse absurdo. E que cobrem o governo, a EMTU e a imprensa por mais explicações. E que, voltando ou não às ruas de SP, a censura sirva para que os cartuns e suas mensagens cheguem a mais pessoas.”

Fonte: Rede Brasil Atual

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Most Popular

Recent Comments

Daniel A. Santos on Legislação dos jornalistas
Antônio Carlos Costa on As multidões e os protestos
FERNANDO MARGHETTI NUNES on Dez desejos para o jornalismo em 2016
leonelcamasao on Legislação dos jornalistas
Maria Tercilia Bastos on Nota de pesar
valmor on Convênios
Vilma Gomes Pinho on Convênios