InícioSOCIEDADEJornalistas do “ La Nación ” repudiam editorial em defesa da anistia...

Jornalistas do “ La Nación ” repudiam editorial em defesa da anistia de militares

Jornalistas do diário La Nación, um dos principais da Argentina, repudiaram o editorial publicado pelo jornal na última segunda-feira (23), um dia após o conservador Mauricio Macri ter sido eleito presidente do país.

Intitulado No más venganza (“Chega de vingança”, na tradução para o português), o texto critica a prisão de militares acusados de crimes durante a ditadura argentina (1976-1983). Em referência aos julgamentos dos repressores, o La Nación afirma que, “por estarem muito velhos para estar presos”, a medida representa uma “vergonha nacional”, e que se deve “terminar com as mentiras sobre os anos 1970”.

O editorial sofreu uma enxurrada de críticas ontem, e vários jornalistas do periódico se pronunciaram contra ele nas redes sociais. De acordo com a Folha de S. Paulo, nomes importantes do diário, como Hugo Alconada Mon e Martín Kanenguiser, foram alguns dos profissionais que se manifestaram, além de Ricardo Sametband, que cobre tecnologia, e Patricio Insua, que escreve sobre esporte, segundo o Opera Mundi.

Posteriormente, os jornalistas se reuniram na redação e posaram para uma foto, na qual seguram placas com os dizeres “eu repudio o editorial”. A imagem foi acompanhada de um comunicado, divulgado pelas redes. Confira:

Os trabalhadores do La Nación S.A. dizemos NÃO ao editorial que, com o título “Chega de vingança”, foi publicado hoje, segunda-feira, 23 de novembro de 2015, na página 32 do jornal.

Nós que trabalhamos no jornal La Nación, nas revistas que edita a empresa, nas versões online de todos os produtos jornalísticos, entendemos que a vida democrática implica na convivência de distintas ideias, projetos e identidades políticas. Convivemos, entre essas paredes, trabalhadores que expressam essa diversidade e, a partir de nossas diferenças, construímos um sentido comum.

Tendo em vista essa diversidade, rejeitamos a lógica que pretende construir o editorial de hoje, que em nada nos representa ao igualar as vítimas do terrorismo de Estado e o acionamento da Justiça em busca de reparação nos casos de crimes contra a humanidade aos castigos aplicados a presos políticos e a uma “cultura da vingança”.

Os trabalhares do jornal La Nación dizemos SIM à DEMOCRACIA, à continuidade dos julgamentos dos crimes contra a humanidade e dizemos NÃO ao ESQUECIMENTO.

Por MEMÓRIA, VERDADE E JUSTIÇA

Da Revista Fórum

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Most Popular

Recent Comments

Daniel A. Santos on Legislação dos jornalistas
Antônio Carlos Costa on As multidões e os protestos
FERNANDO MARGHETTI NUNES on Dez desejos para o jornalismo em 2016
leonelcamasao on Legislação dos jornalistas
Maria Tercilia Bastos on Nota de pesar
valmor on Convênios
Vilma Gomes Pinho on Convênios