sexta-feira, dezembro 2, 2022
Google search engine
InícioNOTÍCIASEdUFSC lança Guia de Fontes da Universidade Federal de Santa Catarina

EdUFSC lança Guia de Fontes da Universidade Federal de Santa Catarina

A Editora da UFSC lançará o Guia de Fontes da Universidade Federal de Santa Catarina, que traz informações e contatos de todos os pesquisadores da instituição, às 20h do dia 23, quinta-feira, na pizzaria San Francesco (avenida Hercílio Luz, 1.131, fone 3222-7400), em Florianópolis O evento tem a coordenação da EdUFSC, Sindicato dos Jornalistas (divulgação) e Agência de Comunicação da UFSC (Agecom).
No mesmo evento será lançado o livro “A Páscoa dos Descontentes”, de Rubens Lunge. Este é o segundo volume de contos do autor, que preside o Sindicato dos Jornalistas de Santa Catarina e estreou com “As Costureiras”, obra que lhe rendeu, nos anos 90, o prêmio de Escritor Revelação da Academia Catarinense de Letras.

A busca facilitada
O “Guia de Fontes – Onde e Como Achar Informações Científicas”, organizado pela equipe da Agecom, é um valioso instrumento de busca de fontes dentro da Universidade Federal de Santa Catarina. Trata-se de uma ferramenta que auxilia a mídia em geral a entrar em contato com pesquisadores e incrementa a divulgação da produção científica e tecnológica da UFSC.
Na orelha do livro, a pró-reitora de Pesquisa e Extensão, Débora Peres Menezes, diz que “um guia de fontes funciona como um ótimo localizador/buscador de linhas de pesquisa, publicações de ponta, potenciais orientadores, projetos sociais, parceiros em tecnologias duras, sociais e biológicas, entre outros dados, e é natural que seja construído a partir de dados dos pesquisadores da instituição”.
Além da versão impressa, a guia foi disponibilizado on-line, com possibilidade busca por palavra-chave (assuntos) ou pelo nome dos pesquisadores. O suporte é a Plataforma Lattes, base de dados organizada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), que reúne currículos de pesquisadores e professores das instituições de ensino superior e de ciência e tecnologia de todo o país.
Cada verbete traz o nome do docente, sua lotação (departamento e centro de ensino), onde fez a graduação, mestrado e doutorado, seus contatos e as áreas de conhecimento às quais está associado. Na versão on-line, o Guia passará por revisões constantes, na medida em que se renovar o quadro de pesquisadores da Universidade. A publicação é mais um marco no ano em que a UFSC comemora seu cinquentenário – ela foi criada em dezembro de 1960 pelo presidente Juscelino Kubitcheck.
A coordenação do Guia de Fontes é do jornalista Moacir Loth, diretor da Agecom, e a coleta de dados e organização ficaram a cargo de Margareth Vianna Rossi Clausen, Alita Diana Corrêa Kuchler e Arley Reis, da equipe da Agência de Comunicação da UFSC.

“A Páscoa dos Descontentes”
Em seu livro, Rubens Lunge denuncia, com as cores da ficção, as mazelas da vida e de uma sociedade que ele, engajado como sempre foi, gostaria de ver mais solidária e tolerante. Os contos confrontam o leitor com situações-limite, nas quais aqueles que detêm o poder continuam dando as cartas e onde a injustiça – uma constante neste hemisfério de desigualdades – faz parte da rotina nas relações entre os homens e destes com o sistema estabelecido, preso a hierarquias que perpetuam práticas de espoliação e exploração dos destituídos de berço e saber.
A região de Concórdia (SC) está presente em parte dos 13 contos do livro, porque foi ali que Lunge, 51 anos, nasceu e se criou. É uma mescla de impressões da terra e sua gente com o fantástico de quadros que ficaram na memória – o trem que costeava o rio do Peixe, as estações da estrada de ferro, os fantasmas do rio Uruguai, que hoje virou um lago, por causa da hidrelétrica de Itá.
Paralelamente, emerge o ficcionista urbano, testemunha das relações turbulentas de gênero, dos dramas familiares, da dor e da miséria que acompanham a trajetória humana. Na contracapa, Rubens Lunge lança seu grito e promete não mais publicar livros de conto em papel, preferindo a poesia e a margem que ela faculta ao contato com as ruas, com as pessoas, dando sua contribuição “aos que se exaurem todos os dias e passam pela vida como só mais um dente da engrenagem (…)”.

Autor: Por Paulo Clóvis Schmitz/Agecom

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Most Popular

Recent Comments

Daniel A. Santos on Legislação dos jornalistas
Antônio Carlos Costa on As multidões e os protestos
FERNANDO MARGHETTI NUNES on Dez desejos para o jornalismo em 2016
leonelcamasao on Legislação dos jornalistas
Maria Tercilia Bastos on Nota de pesar
valmor on Convênios
Vilma Gomes Pinho on Convênios