InícioNOTÍCIASSindicato dos Jornalistas se reúne com superintendência do Ministério do Trabalho

Sindicato dos Jornalistas se reúne com superintendência do Ministério do Trabalho

Sindicato dos Jornalistas se reúne com superintendência do Ministério do Trabalho

Nesta segunda-feira, 18, às 10 horas, o presidente do Sindicato dos Jornalistas de Santa Catarina, Rubens Lunge, se reúne com Carlos Artur Barboza, superintendente regional do Ministério do Trabalho e Emprego para tratar de irregularidades no depósito do FGTS de trabalhadores do Jornal da Manhã, de Criciúma, e também da emissão de registros de jornalista no estado, nos últimos anos.

Na reunião, Rubens vai solicitar à superintendência uma fiscalização sobre o depósito do FGTS de trabalhadores do Jornal da Manhã, de Criciúma. Segundo informações que chegam ao SJSC, a empresa não está depositando quantia referente ao Fundo de Garantia dos seus empregados. Há colegas que sofreram com catástrofe natural nos últimos meses e não podem retirar parte do direito para recuperar suas residências. De acordo com o documento, um trabalhador, com vínculo há mais de quatro anos com a empresa apontada, tem um depósito de apenas R$ 90,00.

Ao superintendente, também será apresentada cópia de ofício a ser entregue à direção do jornal sobre irregularidades em homologações de rescisão de contrato de trabalho de jornalistas da empresa. No ofício, o SJSC requer cópias de todas as homologações de rescisões de jornalistas efetuadas desde 2007, com identificação do sindicato que realizou a homologação. Segundo informações, o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Gráficas da Região Sul de SC realizam homologações de jornalistas há algum tempo, em Criciúma. No entanto, no estado, nenhuma outra organização, além do SJSC e do MTE, tem autorização legal para isso.

Decisão do STF complicou situação sobre emissão de registro de jornalistas

Outro assunto a ser tratado na reunião com o superintendente Carlos Artur Barboza é quanto à emissão do registro para jornalistas no estado.

Após a decisão do STF, em junho de 2009, de que não é necessário diploma em jornalismo para a emissão de registros, nota-se se que o MTE também deixou de exigir vínculo de trabalho. Dessa forma, em outro documento a ser entregue a Barboza, o SJSC chama atenção para “que a concessão do registro de jornalista se deve àqueles que se encontram efetivamente no trabalho, dando assim razão e sentido ao registro profissional, nos termos da interpretação e juízo legal entre 1938 e 1979, e para aqueles habilitados conforme o Decreto 83.284/79, por sua formação superior em jornalismo”.

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -
Google search engine

Most Popular

Recent Comments

Daniel A. Santos on Legislação dos jornalistas
Antônio Carlos Costa on As multidões e os protestos
FERNANDO MARGHETTI NUNES on Dez desejos para o jornalismo em 2016
leonelcamasao on Legislação dos jornalistas
Maria Tercilia Bastos on Nota de pesar
valmor on Convênios
Vilma Gomes Pinho on Convênios