quarta-feira, dezembro 7, 2022
InícioAÇÃO SINDICALUnC abre vaga irregular para jornalista em Mafra

UnC abre vaga irregular para jornalista em Mafra

A Universidade do Contestado (UnC) está com inscrições abertas para processo seletivo em que prevê a contratação de jornalistas de maneira irregular. A vaga prevista é para “assistente de marketing”, porém, é exigida a formação em jornalismo e dois anos de experiência na área. Além de prever um salário de R$ 1.685,74 – abaixo do piso da categoria –  a jornada é de 42 horas semanais. A legislação determina que sejam apenas 30 horas.

O próprio conteúdo da prova para “assistente de marketing” revela a irregularidade na contratação de jornalistas pela UnC. O edital prevê itens como elaboração de pautas, técnicas de reportagem, produção de entrevistas para meios impressos, audiovisuais e digitais. Também aparecem como conteúdo da prova noções de assessoria de comunicação, planejamento e cobertura de eventos, noções de fotojornalismo, entre outros.

O cargo de “assistente de marketing” é previsto no Plano de Cargos e Salários da Universidade. O documento traz o nome, mas não a descrição das funções. Há outra vaga com a mesma nomenclatura no edital da UnC, mas esta exige formação em publicidade ou design.

UnC tem departamento de assessoria de comunicação

A irregularidade do edital fica evidente quando se entra no site da Universidade. um dos links no topo da página leva a informações sobre a assessoria de comunicação da UnC. Vinculada à reitoria, o departamento tem até mesmo uma Política de Comunicação Institucional estabelecida em resolução interna. O documento prevê que a assessoria estabeleça relações com a imprensa. Também são descritas funções do setor, como “produzir conteúdo jornalístico para imprensa”, “produzir notícias para os veículos de comunicação da UnC”, “promover o agendamento de entrevistas com a imprensa” “organizar coletivas de imprensa”, entre outros.

O Sindicato dos Jornalistas vai contestar o concurso da Universidade do Contestado. “Este tipo de manobra para precarizar o trabalho dos jornalistas não é admissível. Vamos contatar a universidade e buscar uma solução para o problema”, afirma o presidente do SJSC, Aderbal filho. O sindicato buscará uma solução administrativa para o problema, mas não descarta a via judicial, se necessário.

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Most Popular

Recent Comments

Daniel A. Santos on Legislação dos jornalistas
Antônio Carlos Costa on As multidões e os protestos
FERNANDO MARGHETTI NUNES on Dez desejos para o jornalismo em 2016
leonelcamasao on Legislação dos jornalistas
Maria Tercilia Bastos on Nota de pesar
valmor on Convênios
Vilma Gomes Pinho on Convênios