InícioNOTÍCIASMais esclarecimentos sobre a nova Carteira Nacional de Jornalistas

Mais esclarecimentos sobre a nova Carteira Nacional de Jornalistas


Por conta de mudanças, efetuadas pela FENAJ, no processo de confecção da Carteira de Jornalista, o Sindicato foi obrigado a esperar que as emissões se normalizassem. Esta espera ocasionou protestos por parte de alguns colegas. Mas é importante esclarecer que:

A mudança no modelo e no processo de emissão das carteiras foi decidida pela Federação. Os novos valores da carteira também foram definidos pela FENAJ e tiveram os custos aumentados em função do processo que foi entregue a uma empresa, não mais sendo feito na própria federação.

A demora na confecção da carteira se deve ao fato de que agora é necessária a digital do jornalista e os que moram fora da capital precisam receber os papéis por correio, fazendo com que o tempo se alargue, uma vez que são necessárias várias trocas de correspondência.

Neste sentido é importante que os jornalistas sejam pacientes e aguardem até que o processo possa ser absorvido por todos, tornando-se mais ágil. É certo que uma mudança radical na concepção de qualquer processo ocasiona todos estes percalços. Mas, nós estamos tentando realizar procedimento com a maior brevidade possível. Pedimos desculpas pelo transtorno, mas o método nos veio em pacote fechado.

O novo método

Com a liberação por parte da FENAJ, o SJSC restabeleceu neste mês de fevereiro a emissão da carteira nacional de jornalista com novo formato. O novo formato tem características de cartão magnético, contendo itens digitalizados como a foto, a assinatura e a impressão digital.

Os valores foram alterados devido à terceirização do serviço:
R$ 75,00 para sindicalizados em dia;
R$ 150,00 para sindicalizados inadimplentes;
R$ 300,00 para mão-sindicalizados;

Esta emissão está acontecendo da seguinte maneira:

– o profissional é cadastrado em um sistema on-line (Sindicato/FENAJ/GDBurti) no Sindicato;
– após o cadastramento, o sistema emite um formulário e um boleto para pagamento; (com o valor referente a sua situação junto ao sindicato);
– o formulário sairá impresso com os dados do profissional e o boleto com o valor referente a sua situação junto ao Sindicato;
– ao formulário acrescentamos a foto, a assinatura (dentro do campo específico) e a impressão digital;
– o profissional leva o boleto para pagamento, e o Sindicato envia o formulário para a FENAJ;
– após o recebimento do formulário e o pagamento do boleto, a carteira nacional é confeccionada e liberada pela GDBurti, que a envia ao Sindicato e este ao profissional;

Obs.: se o profissional residir no interior do Estado e não tiver condições de se deslocar a Florianópolis, existe a possibilidade do envio da documentação através dos Correios.

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -
Google search engine

Most Popular

Recent Comments

Daniel A. Santos on Legislação dos jornalistas
Antônio Carlos Costa on As multidões e os protestos
FERNANDO MARGHETTI NUNES on Dez desejos para o jornalismo em 2016
leonelcamasao on Legislação dos jornalistas
Maria Tercilia Bastos on Nota de pesar
valmor on Convênios
Vilma Gomes Pinho on Convênios