quarta-feira, dezembro 7, 2022
InícioNOTÍCIASEleição na Fenaj - Chapa 1 - Defesa permanente da formação, do...

Eleição na Fenaj – Chapa 1 – Defesa permanente da formação, do diploma, da profissão: esta é uma das principais distinções da Chapa 1 para Virar o Jogo pelo Jornalismo e Jornalista

Na sua campanha pelo país afora, os candidatos da Chapa 1 têm destacado que uma das distinções fundamentais da “Virar o Jogo” é a permanente atuação de seus membros – não só em período eleitoral – em defesa da necessidade da formação para o exercício ético, responsável, democrático e qualificado da nossa profissão e dentro desta visão, da exigência do diploma em curso superior de Jornalismo. Os integrantes da Chapa 1 e seus apoiadores sempre pautaram sua militância sindical por esta compreensão e sempre estiveram – e continuarão – na linha de frente das lutas pela organização, consolidação da identidade, respeito e dignidade da profissão de jornalista.

“Os candidatos da Chapa 1, em todos seus espaços e fóruns de atuação, sempre lutaram pela regulamentação e defenderam, categoricamente, o local insubstituível do jornalista e do Jornalismo. Não podemos, neste momento, confundir jornalismo e jornalistas com qualquer outra atividade social. Quem faz o Jornalismo é o jornalista, não os meios de comunicação ou plataformas tecnológicas. Qualquer outra visão, na nossa opinião, é mistificação e traição a gerações de jornalistas que consolidaram a profissão no nosso país. Nossa Chapa sempre entendeu e defendeu a formação como a melhor e mais democrática forma de acesso ao exercício profissional ético, responsável, democrático e qualificado. E formação no local que a sociedade mundialmente escolheu e secularmente vem construindo para a preparação e capacitação às profissões: a Universidade”, tem reafirmado o candidato à Presidência da FENAJ, Celso Schröder.

O candidato também vem destacando a representatividade e o perfil de compromisso e seriedade da nominata da Chapa 1. “Os nossos candidatos são originários do movimento sindical nacional dos jornalistas brasileiros. Foram indicados para compor a chapa pelos próprios Sindicatos, pelas suas bases, representando as escolhas regionais da categoria. Da mesma forma, nosso programa é a síntese das lutas, decisões, anseios e necessidades dos jornalistas brasileiros, construído a partir dos diversos fóruns e espaços de atuação, debate e deliberação da categoria”, explica.

Ele lembra que a Chapa 1 conta com representantes de 25 bases sindicais de norte a sul do país. Além disso, tem 14 presidentes e ex-presidentes de sindicatos estaduais, um presidente e uma ex-presidente da FENAJ. “E ao lado da experiência destes companheiros e companheiras, traz também a renovação. Temos um índice de renovação de mais de 50% de novos companheiros que pela primeira vez se candidatam à FENAJ, trazendo na bagagem uma intensa militância nos seus Sindicatos”, completa o candidato à presidência.

A Chapa 1 também foi a única a indicar candidatos para a Comissão Nacional de Ética – CNE. E segundo Schröder, a Comissão que apresentamos e defendemos é composta de três ex-presidentes e uma presidenta de sindicatos e ainda de um ex-presidente do Fórum Nacional de Professores de Jornalismo. Ou seja, são candidatos representativos e reconhecidos pela categoria, que trazem experiência e história de luta na construção da profissão e do Jornalismo exercido com ética, cidadania, responsabilidade e dignidade.

Schröder, no último mês, além de Santa Catarina, visitou locais de trabalho no Rio de Janeiro, Alagoas, Rio Grande do Sul e Paraná. Em Curitiba, no último dia 2 de julho, a comitiva da Chapa 1 contou com as participações de Celso Schröder, do paranaense Júlio Tarnowski Jr., um dos nossos candidatos à Comissão Nacional de Ética, de Valci Zuculoto (2.ª tesoureira) e José Nunes (vice presidente regional sul), apoiados por Márcio Rodrigues, presidente do Sindicato dos Jornalistas do Paraná. Eles visitaram as redações dos jornais Gazeta do Povo, O Estado do Paraná/Tribuna do Paraná, Jornal do Estado, além das redes de televisão e rádio RIC TV, RTVE e RPC. Em todos os locais, os colegas jornalistas pararam para ouvir os candidatos Chapa 1 e muitos já abriram publicamente seu voto para “Virar o Jogo”.

Nas redações gaúchas, a comitiva foi integrada, além de Schröder, por José Nunes (vice-presidente regional sul) e Luiz Vaz (Departamento de Mobilização dos Jornalistas de Produção e Imagem – RS), juntamente com os candidatos da Chapa Única “Orgulho de Ser Jornalista” para o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul Marco Antônio Chagas, Cláudio Fachel e Arfio Mazzei. O roteiro iniciou, na segunda-feira (05/07), pelo Correio do Povo, Jornal do Comércio e Zero Hora. Na terça-feira (06/07), a conversa com os colegas foi nas redações da TVE, TV Record, SBT e RBS.
Nas suas visitas às redações de todo o país, os candidatos da Chapa 1 também discutem algumas das principais propostas da Chapa 1, entre as quais, intensificar as lutas por melhores salários e condições de vida, incluindo a criação de um piso nacional, a permanente batalha pela qualificação da formação em Jornalismo, pela criação do Conselho Federal dos Jornalistas, pela democratização da comunicação, pela Liberdade de Imprensa e no Combate à Violência contra os Jornalistas, além de maior articulação da FENAJ com os movimentos sociais, em especial com as centrais sindicais.

Aqui em Florianópolis, a coordenação do comitê catarinense pró Chapa 1 reuniu-se ontem e programou novas ações para intensificar a campanha no estado nos próximos dias. Acesse www.virarojogo.com.br para acompanhar a movimentação da Chapa 1 em todo o país e deixe lá o seu apoio para “Virar o Jogo em Defesa do Jornalismo e do Jornalista”. Contatos com o comitê catarinense pelos e-mails debafilho@gmail.com; valzuculoto@hotmail.com; smdeandrade@gmail.com

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Most Popular

Recent Comments

Daniel A. Santos on Legislação dos jornalistas
Antônio Carlos Costa on As multidões e os protestos
FERNANDO MARGHETTI NUNES on Dez desejos para o jornalismo em 2016
leonelcamasao on Legislação dos jornalistas
Maria Tercilia Bastos on Nota de pesar
valmor on Convênios
Vilma Gomes Pinho on Convênios