sexta-feira, dezembro 2, 2022
Google search engine
InícioCAPAComissão de Mulheres da FENAJ constrói ações do 8M em todo o...

Comissão de Mulheres da FENAJ constrói ações do 8M em todo o país

As jornalistas em todo o Brasil estão articuladas e organizadas para escancarar um grito uníssono pelo fim da violência de gênero na profissão e contra todas as opressões. A Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) está articulando, juntos aos Sindicatos da categoria, uma agenda de mobilizações para marcar o mês de Março como período de luta das profissionais jornalistas.

As atividades a serem desenvolvidas são alusivas ao Dia Internacional da Mulher, celebrado em 8 de Março, e têm como objetivo contribuir com as reflexões a partir da perspectiva de gênero e também nas especificidades da profissão de jornalista. As ações resultam de orientações construídas coletivamente por representantes de 19 sindicatos de diversas regiões do país que compõem a Comissão de Mulheres da FENAJ.

A Federação orienta as trabalhadoras jornalistas a se integrarem às marchas, atos e manifestações das organizações de mulheres, movimentos sociais e sindicais nos Estados programadas, em sua maioria, para o próximo domingo (08/03). Este ano, as mulheres irão às ruas contra Bolsonaro, por democracia e por direitos.

O movimento em SC

Em Santa Catarina, as atividades unitárias estão sendo construídas pelo Movimento 8M. São oito dias de muitas atividades denunciando as violências e mostrando a força das mulheres organizadas! O movimento terá seu ápice no dia 9 de março (segunda-feira), quando será realizada uma grande marcha em Florianópolis, com concentração a partir das 17h, no Centro da capital.

A Comissão de Mulheres também está disponibilizando, desde o início de março, cards de divulgação com dados sobre o mercado de trabalho para a mulher jornalista e os principais problemas enfrentados por estas profissionais. No dia 6 de março, será publicado um manifesto da Federação em defesa das mulheres.

Atividades ao logo do mês

Para fortalecer março como mês de luta das mulheres da categoria, os Sindicatos de Jornalistas realizam rodas de conversa, debates, oficinas e aulas públicas, com o tema central “A mulher jornalista diante dos ataques e violações à liberdade de imprensa e exercício da profissão”. Cada Sindicato tem a liberdade de abordar temáticas correlatas inerentes à realidade local, buscando apoio de parceiros para promover suas atividades.

As atividades promovidas estão sendo divulgadas pelos perfis institucionais da FENAJ nas redes sociais (Facebook e Instagram) para ampliar a visibilidade das ações e integrar mais mulheres jornalistas à causa.

9 de março é dia de vestir lilás

A violência específica enfrentada pelas mulheres jornalistas tem crescido. Assédios moral e sexual são constantes entre as integrantes da carreira. Muitas repórteres não conseguem sequer concluir uma entrevista sem sofrer ataques, que se estendem também após a veiculação de seus trabalhos. Nesse cenário, a Comissão de Mulheres resolveu fazer a denúncia pública logo após o 8 de março. Assim nasce o Dia de Luta das Mulheres Jornalistas, com o lema “Lute como uma jornalista”.

“Portanto, convidamos todas e todos a se somarem ao Dia de Luta das Mulheres Jornalistas, contra os assédios moral e sexual e os ataques sexistas, machistas e misóginos, com as integrantes da categoria indo trabalhar de roupa na cor lilás no dia 9 de março (segunda-feira), para demonstrar um pedido unificado – e básico – de respeito”, reforça Samira de Castro, segunda vice-presidenta da Federação e integrante da Comissão de Mulheres.

A quem interessar, o SJSC terá à disposição, a partir de sexta-feira (06/03), camisetas lilás com o mote da campanha da Comissão Nacional das Mulheres Jornalistas, ao custo de R$ 20,00. As reservas devem ser encaminhadas para o e-mail diretoria@sjsc.org.br.

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Most Popular

Recent Comments

Daniel A. Santos on Legislação dos jornalistas
Antônio Carlos Costa on As multidões e os protestos
FERNANDO MARGHETTI NUNES on Dez desejos para o jornalismo em 2016
leonelcamasao on Legislação dos jornalistas
Maria Tercilia Bastos on Nota de pesar
valmor on Convênios
Vilma Gomes Pinho on Convênios