InícioNOTÍCIASSJSC destaca reivindicações dos jornalistas em manifestação pública

SJSC destaca reivindicações dos jornalistas em manifestação pública

Apoiando o ato por um transporte público de qualidade em Florianópolis, nesta quinta-feira (20), o Sindicato dos Jornalistas de Santa Catarina também denuncia a postura dos donos de jornais de embarrigarem as negociações e se negarem a conceder aumento salarial para a categoria.

Mesmo com dados conjunturais positivos, como o incremento médio de 7% em veiculações publicitárias no setor de impressos em 2012 (em mídias eletrônicas o desempenho foi bem melhor), o exemplar balanço da RBS, com 22% de lucro sobre a receita líquida nos últimos 2 anos (R$ 212 milhões), e ainda sendo beneficiados com a inclusão na redução fiscal para desoneração da folha de pagamento definida na Medida Provisória 612, os empresários de jornais e revistas de SC insistem em propor aumento ZERO para os jornalistas. Resumem-se a conceder o reajuste da inflação, não respondem ao conjunto das reivindicações e boicotaram duas rodadas de negociação.

A direção da RBS, dando uma de empresa boazinha e escamoteando sua prática antissindical, lançou comunicado aos seus funcionários, num ato de total desrespeito aos jornalistas, na tentativa de dividir a categoria e enfraquecer a campanha de negociação coletiva:

“Caro colaborador, Em razão de impasse nas negociações entre o Sindicado dos Jornalistas SC e o Sindicato das Empresas Proprietárias de Jornais e Revistas SC, o Grupo RBS decidiu antecipar o reajuste salarial para a categoria Jornalistas SC no valor de 7,16%, índice que corresponde ao INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) revisado do período (1º de maio de 2012 a 30 de abril de 2013). O reajuste, retroativo ao mês de maio, será efetivado na folha de junho, com pagamento em 5 de julho. Entendendo a morosidade conhecida dessas negociações sindicais, a RBS assume esse gesto de pró-atividade com o objetivo de não prejudicar os colaboradores durante o período. Comissão de Negociação RBS”.

Só faltou assumir que é a representação patronal que está causando o impasse com sua postura intransigente de não conceder aumento real e de não tratar das demais reivindicações da categoria. Faltou, também, a “pró-atividade” de dizer que quem provoca a “morosidade conhecida dessas negociações sindicais” são os patrões.

É preciso que os jornalistas “ajudem” os patrões a refletirem melhor e demonstrarem que estão realmente dispostos a negociar. Por isso, o SJSC lança a “Operação Reflexão” e conta com o envolvimento da categoria. A primeira orientação é para que todos denunciem, nas redes sociais, a intransigência patronal.

Entre as outras etapas da Operação estão contatos com anunciantes, solicitação de pronunciamentos de parlamentares e manifestações públicas em defesa da valorização do trabalho dos jornalistas em outras cidades como Lages, Brusque, Blumenau, Joinville, Criciúma e Chapecó. “Num momento em que as manifestações tomam conta das ruas, não podemos nos omitir diante deste cenário de exploração, baixos salários, demissões e precarização crescente nas empresas de comunicação”, sustenta o presidente do SJSC, Valmor Fritsche.

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Most Popular

Recent Comments

Daniel A. Santos on Legislação dos jornalistas
Antônio Carlos Costa on As multidões e os protestos
FERNANDO MARGHETTI NUNES on Dez desejos para o jornalismo em 2016
leonelcamasao on Legislação dos jornalistas
Maria Tercilia Bastos on Nota de pesar
valmor on Convênios
Vilma Gomes Pinho on Convênios