0,00 BRL

Nenhum produto no carrinho.

Tribunal da Inglaterra quer revisar lei antiterrorismo

A Corte de Apelação da Inglaterra indicou falhas na lei antiterrorismo utilizada pela polícia para prender e revistar suspeitos. Os juízes concluíram que ela não assegura nenhuma garantia quando o cidadão é um jornalista, o que violaria a liberdade de imprensa.

Segundo o ConJur, o tribunal determinou ao Parlamento que discuta como deve adaptar a regra para preservar a mídia. O debate foi gerado pelo brasileiro David Miranda, companheiro do jornalista Glenn Greenwald, responsável pelas primeiras publicações de reportagens sobre a vigilância em massa promovida pela agência de inteligência dos Estados Unidos.
Miranda foi preso no aeroporto de Londres em agosto de 2013 e interrogado pela polícia por quase nove horas. Ele havia ido até Berlim para entregar documentos sigilosos para a jornalista Laura Poitras. Na ocasião, o brasileiro teve documentos confidenciais e HD externo confiscados.
A Corte de Apelação avaliou que não houve nenhum abuso da polícia. Os juízes acreditam que havia fundamentos suficientes para acreditar que ele estivesse envolvido com alguma atividade terrorista.
[divider style=”solid” top=”20″ bottom=”20″]

Matérias semelhantes

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais lidas

%d blogueiros gostam disto: