Inicial / SOCIEDADE / Lançamento da Frente Povo Sem Medo reúne 200 na capital

Lançamento da Frente Povo Sem Medo reúne 200 na capital

Guilherme Boulos, do MTST, foi o destaque da plenária
Guilherme Boulos, do MTST, foi o destaque da plenária

Santa Catarina registrou terça-feira (15/12) o lançamento do nono operativo estadual da Frente Nacional de Mobilização Povo Sem Medo. Participaram cerca de 200 lideranças e militantes ligados a sindicatos, entidades estudantis, movimentos populares, de mulheres, LGBTs e organizações de juventude. Guilherme Boulos, coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), foi o destaque da plenária.

Boulos fez uma retrospectiva do cenário político do Brasil desde a posse de Lula, em 2003. “Se os trabalhadores ganharam algo nesse período, o empresariado teve lucros recordes”, destacou, enfatizando a opção estratégica de buscar a conciliação entre setores antagônicos da sociedade. “A margem de manobra para manejo orçamentário foi possível devido ao crescimento econômico do período.”

Ao abordar a atual conjuntura nacional, Boulos apontou as consequências desde a crise econômica iniciada em 2008. Passando pelas manifestações de junho de 2013, o líder popular citou o aumento importante do número de greves e o fim do ciclo que definiu como “pacificação da sociedade”. Diante da instabilidade no país, pontuou que a eleição de 2014 marcou uma nova estratégia do governo para recompor o “pacto social existente anteriormente”, e ao mesmo tempo nos levou “ao drama do atual período”.

psm
Evento reuniu cerca de 200 pessoas

Tarefas da Frente
As tarefas da Frente Povo Sem Medo, de acordo com Guilherme Boulos, são combater o conservadorismo desencadeado a partir do Congresso Nacional. Além disso, está na ordem do dia posicionar-se contra o pedido de impeachment aceito pelo presidente da Câmara dos Deputados, o deputado Eduardo Cunha (PMDB). Isso porque tal medida, caso venha a ocorrer, em nada beneficiará a classe trabalhadora.

Porém, mesmo entendendo isso, Boulos ressaltou que não cabe à Frente Povo Sem Medo adotar uma posição de blindagem do governo federal. Para ele, isso seria uma “posição de defesa do indefensável”. Ao invés disso, deve-se combater a política de ajuste e austeridade fiscal, implantada por Dilma Rousseff e o ministro que ela sustenta na Fazenda, Joaquin Levy.
Diante desse cenário, Boulos destacou como eixos principais da Frente Povo Sem Medo construir o que define como “novo ciclo político”. Para isso, os movimentos que compõem a Povo Sem Medo precisam defender um amplo programa de reformas sociais. É necessário, ainda segundo ele, resgatar o trabalho político nas ruas, nos bairros e nos locais de trabalho. Sem isso, avaliou, o pêndulo seguirá muito difícil para as forças de esquerda do Brasil.

OPERATIVO
Ao fim do ato de lançamento, foram chamadas representações das entidades, movimentos e organizações que farão parte do operativo catarinense da Frente Povo Sem Medo. Uma reunião foi convocada para a próxima terça-feira (22/12), às 19h30, no auditório do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Florianópolis (Sintrasem) – Rua Fernando Machado, 203 – Centro – Florianópolis.

Tente também

Colunista da Folha e líder do MTST é preso em SP

Líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e colunista da Folha de S. Paulo, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: